CASTANHA DOS SOUTOS DA LAPA – DOP

denominação de origem protegida - DOP
Castanha dos Soutos da Lapa

Entende-se por "Castanha dos Soutos da Lapa" as castanhas obtidas a partir do castanheiro ( Castanea sativa Mill ), das variedades martainha e longal, produzidas numa determinada área geográfica.

Características da Castanha dos Soutos da Lapa – DOP – as regras de instalação e condução dos pomares, as práticas culturais, as substâncias de uso interdito e as condições a observar na colheita, transporte , calibragem e acondicionamento, constam no respectivo Caderno de Especificações.

Variedade Martainha:

  • Côr - castanho claro com brilho médio e estrias leves longitudinais;
  • Forma - arredondada;
  • Sabôr - sui géneris;
  • Calibre - grande ( 60 a 70 frutos por Kg, em média )
  • Aptidão para o descasque - muito boa;
  • Compartimentação - reduzida, algumas penetrações.

Variedade Longal:

  • Côr - castanho avermelhado, muito brilhante e estrias escuras longitudinais;
  • Forma - elíptica alongada;
  • Sabôr - sui géneris;
  • Calibre - pequeno a médio ( 70 a 95 frutos por Kg, em média );
  • Aptidão para o descasque - muito boa;
  • Compartimentação - muito reduzida, poucas penetrações.

É reconhecida como Denominação de Origem Protegida, a denominação tradicional e consagrada pelo uso "Castanha dos Soutos da Lapa". O uso da denominação de origem "Castanha dos Soutos da Lapa - DOP" fica reservado aos produtos que obedeçam às características fixadas no respectivo Caderno de Especificações, aos produtores expressamente autorizados pelo A grupamento - BANDARRA - Cooperativa Agrícola do Concelho de Trancoso, C. R. L. , se comprometam a respeitar todas as disposições constantes do Caderno de Especificações e se submetam a controlo a realizar pelo Organismo Privado de Controlo e Certificação (OPC) reconhecido. As castanhas têm de apresentar as características de qualidade, calibre, classificação, acondicionamento e rotulagem exigidas e descritas no respectivo caderno de especificações.

Apresentação Comercial - as castanhas devem apresentar-se inteiras, sãs, não germinadas, isentas de insectos, de humidade exterior e de odor e ou sabor estranhos.

Têm de apresentar-se nas seguintes categorias:

  • Categoria Extra - castanhas de qualidade superior, em estado de bom desenvolvimento, de forma normal, de coloração uniforme, aspecto fresco e isentas de defeitos, com excepção de ligeiras alterações superficiais, desde que não comprometam a qualidade ou o aspecto geral do produto ou da sua embalagem;
  • Categoria I - castanhas de boa qualidade, bem desenvolvidas, de forma normal e aspecto fresco, podendo apresentar alguns defeitos, desde que não comprometam o aspecto geral e a conservação do produto.

Tolerâncias - as tolerâncias de calibre são de 10% em n.º/Kg de castanhas do calibre imediatamente inferior e ou superior ao indicado, para todas as categorias. As de categoria, são em função da respectiva classificação na categoria extra e I, sendo admissíveis as seguintes:

  • Categoria extra - 6% em n.º/Kg de frutos c/anomalias superficiais ou c/defeitos na semente. Os frutos cujos defeitos da semente são visíveis do exterior não podem ultrapassar 2% do conjunto.
  • Categoria I - 10% em n.º/Kg de frutos c/anomalias superficiais ou defeitos na semente. Os frutos cujos defeitos são visíveis do exterior não podem ultrapassar 4% do conjunto.

A apresentação Comercial da "Castanha dos Soutos da Lapa - DOP" só pode efectuar-se devidamente acondicionada em embalagens de rede, ráfia ou serapilheira, correspondentes às seguintes quantidades líquidas: 1 Kg, 5 Kg, 10 Kg, 15 Kg e 25 Kg.

Rotulagem - sem prejuízo do disposto na legislação aplicável sobre rotulagem, dela devem constar, ainda, o nome da variedade, categoria e calibre, bem como as menções "Castanha dos Soutos da Lapa - DOP" e a marca de Certificação aposta pelo respectivo Organismo Privado de Controlo e Certificação - OPC , logotipo da comunidade.

Área Geográfica - a área geográfica de produção (produção, tratamento e acondicionamento) está circunscrita às freguesias de Cimbres, Santa Cruz de Lumiares,

Santiago, S. Martinho de Chãs, S. Cosmado, Tões, S. Romão, Arícera, Coura, Vila Seca e Goujoim, do concelho de Armamar; às freguesias de Várzea da Serra, Tarouca, S. João de Tarouca, Mondim da Beira, Granja Nova, Vila Chã da Beira e Salzedas do concelho de Tarouca; às freguesias de Longra, Arcos, Sendim, Paradela, Pinheiros, Vale de Figueira, Chavães, Távora, Granja do Tedo e Tabuaço, do concelho de Tabuaço; às freguesias de Paredes da Beira, Riodades, Trevões, e Valongo dos Azeites, do concelho de S. João da Pesqueira; às freguesias de Alvite, Passo, Sever, Ariz, Pêra Velha, Caria, Rua, Aldeia de Nacomba, Sarzedo, Castelo, Nagosa, Cabaços, Paradinha, Leomil, Moimenta da Beira, Arcozelos, Baldos, Vilar, Segões e Peva, do concelho de Moimenta da Beira; às freguesias de Lamosa, Quintela, Carregal, Granjal, Sernancelhe, Cunha, Arnas, Sarzeda, Penso, Vila da Ponte, Faia, Freixinho, Ferreirim, Fonte Arcada, Chosendo, Macieira e Escurquela, do concelho de Sernancelhe; às freguesias de Penela da Beira, Castainço, Granja, Penedono, Beselga, Antas, Ourozinho, Souto e Póvoa de Penela, do concelho de Penedono; às freguesias de Lalim, Lazarim, Bigorne, Pretarouca, Magueija, Meijinhos, Melcões, Penude, Avões, Ferreiros de Avões e Vila Nova Souto dÉl Rei, do concelho de Lamego; às freguesias de Aguiar da Beira, Carapito, Cortiçada, Coruche, Dornelas, Eirado, Forninhos, Gradiz, Pinheiro, Pena Verde, Sequeiros, Souto, Valverde, do concelho de Aguiar da Beira; às freguesias de Aldeia Nova, Carnicães, Castanheira, Cogula, Cótimos, Feital, Fiães, Freches, Granja, Guilheiro, Moimentinha, Moreira de Rei, Palhais, Póvoa do Concelho, Reboleiro, Rio de Mel, Santa Maria, São Pedro, Sebadelhe da Serra, Souto Maior, Tamanhos, Terrenho, Torre do Terrenho, Torres, Valdujo, Vale do Seixo, Vila Franca das Naves, Vila Garcia e Vilares, do concelho de Trancoso.

A área de implantação na Região Agrária do Centro é de 56 521 ha.

 

Agrupamento de Produtores

BANDARRA - Cooperativa Agrícola do Concelho de Trancoso, C. R. L .
Estrada Nacional, n.º 226
6420 - 108 TRANCOSO
Telef: +351 271 829 180
Fax: +351 271 829 188
E-mail : opp.trancoso@mail.telepac.pt

 

OPC – Organismo Privado de Controlo

SATIVA - Desenvolvimento Rural, Ldª.
Rua Robalo Gouveia, n.º 1 - 1 A
1900 - 392 LISBOA
E-mail: sativa@sativa.pt
Tel.: +351 217 991 100
Fax: +351 217 991 119

 

todos os produtos


mais informação